Venda de vacinas contra a pneumonia está a aumentar

Número de vacinas antipneumocócicas vendidas em 2020 mais do que duplicou em relação ao ano de 2019.

De acordo com dados cedidos pela Associação Nacional de Farmácias (ANF), a venda de vacinas antipneumocócicas tem registado uma tendência de aumento ao longo dos últimos anos. Em 2020, foram vendidas 290 293 unidades, mais 171 349 do que em 2019, confirma o Jornal de Notícias.

A pneumonia está no topo das doenças respiratórias que mais matam em Portugal – cerca de 5 mil pessoas por ano. O médico pneumologista e presidente da Fundação Portuguesa do Pulmão (FPP), José Alves, afirma que “o aumento brutal no ano passado está relacionado com a covid-19”, já que “se recomendava que as pessoas se vacinassem para a gripe e pneumonia, porque, pelo menos, poderiam estar mais protegidas na parte respiratória”. Agora, o mais importante é “continuar a aumentar a vacinação e não desacelerar”, alertou José Alves, afirmando que “não temos de estar à espera do inverno para pensar nisso”.

Segundo revelam os dados da ANF, até agosto deste ano, foram vendidas 47 024 unidades da vacina contra a pneumonia. No entanto, espera-se que até ao fim do ano este número aumente. “A flutuação mensal devia ser mais uniforme”, refere o presidente da FPP, ao relembrar que esta vacinação aumenta sobretudo nos meses de outubro a janeiro.

O objetivo é “chegarmos ao momento em que está tudo vacinado”, diz o médico, explicando que o ideal é ter uma cobertura de 75% na população acima dos 65 anos, a qual pode ser alcançada através da aprovação da portaria 200/2021 que confirma uma comparticipação do Estado de 37% para 69% desta vacina, exceto nos casos em que é gratuita (para os doentes de risco).

28-10-2021